User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Na sequência das notícias massivamente transmitidas relativas às situações reiteradas de assédio moral vivenciadas pela trabalhadora Cristina Manuela Neves Tavares na entidade patronal Fernando Couto – Cortiças, S. A. esta foi no passado dia 26 de novembro de 2018 notificada da decisão da ACT que a condenou em coima superior a 31 mil euros.

Nesse mesmo dia a trabalhadora voltou ao seu habitual "castigo": carregar e descarregar os mesmos sacos de rolhas na mesma palete durante 9 horas de "trabalho".

Não satisfeita a entidade patronal no dia 28 de novembro de 2018 comunicou à trabalhadora que a mesma se encontra suspensa preventivamente para a organização de processo disciplinar tendente ao seu despedimento com justa causa. Ou seja, de despedimento por extinção de posto de trabalho que o tribunal julgou ilícito passou-se a despedimento com justa causa por via disciplinar (!).

Não há limites para esta entidade patronal!

Pel'A Direção